Enquanto grávidas ouvimos de TUDO… É verdade que nem toda a gente tem o bom senso de pensar ANTES de falar. Mas devia de existir um “código” para que não tenhamos que ouvir vezes sem conta as seguintes perguntas/comentários:

1- Foi uma gravidez planeada?
Mesmo que não seja a grávida não vai dizer… a não ser que queira contar. Além disso, qual o interesse se foi uma gravidez planeada? Está aqui, vamos recebê-la de braços abertos!

2- Posso tocar na barriga?
A barriga das grávidas é um centro magnético que atrai as mãos dos mais atrevidos. Algumas pessoas pedem autorização outras não! É um acto involuntário e muitas vezes inofensivo, mas que pode provocar desconforto à mulher.

DICA: Antes de tocar, pergunte! Ou não toque de todo, se a relação com a grávida não for muito próxima.

3- São gémeos?
Este tipo de comentários pode levar a que a mulher pense que está maior do que o que deveria ou que ganhou mais peso (vejam os post´s: “Tamanho da barriga das grávidas” e “Evolução de peso saudável na gravidez”)… Pode originar sentimentos de insegurança, mal-estar e tristeza na mulher.

DICA: Se quer mesmo saber, pergunte ao marido! Se forem gémeos ele vai se gabar do quão espectaculares são os seus espermatozóides e evita constragimentos com a grávida! 😉

4- Está com medo do parto?
RETÓRICA!
Claro que todas as mulheres têm os seus receios e ficam apreensivas em relação ao parto. Depois gostamos sempre de acrescentar uma história de uma amiga de uma vizinha de uma prima que lhe aconteceu horrores… E isto fica na cabeça da grávida de tal forma que a pode condicionar negativamente no momento intra-parto.

DICA: Perguntar se está a fazer preparação para o parto ou se já pensou no seu plano de parto… Algo mais simpático e com uma utilidade para aquele momento.

5- Vai comer isso? Deve fazer mal ao bebé…
Esta pergunta é super válida, pois efectivamente comprotamentos de risco da grávida têm impacto no feto. Se possível alertar, mas de forma POLITICAMENTE CORRECTA, ou seja, com alguma sensibilidade e sem o julgamento inerente!

DICA: “Li num artigo que as grávidas podiam comer gengibre que alívia as naúseas… E já agora sabias que isso não recomendavam porque….” (VERDADE!) ou não dizer nada! (Vejam o post: “Alimentação da grávida”)

6- Para quando nasce o bebé?
Esta pressão é muito vivida no 3º trimestre… “Então, nunca mais conhecemos o bebé! Para quando nasce? Aposto que é no meu dia de anos!”
(Que me perdoem as mães dos meus afilhados… uma tia não aguenta a espera!) Efectivamente a grávida não sabe, por isso parem de lhe perguntar

DICA: Perguntar a idade gestacional, assim através das semanas já podem marcar no caledário oficial das tias 🙂

7- Estás a exagerar… Será das hormonas?
Podem ser efectivamente das hormonas, pois sabemos que a parte hormonal da mulher se altera bastante na gravidez e pós-parto… mas é tão desagradável afirmar isso. Parece que a mulher deixou de ser a “Maria” e passou a ser somente a “grávida”… Respeito pela individualidade da mulher e pelo momento que está a passar, protegendo-a quer de comentários quer de situações de stress.

8- Qual é o percentil?
Esta está no TOP 3 das mais ouvidas…
Para quê o interesse, para além da curiosidade do casal e dos profissionais de saúde, sobre o percentil do bebé?
Já in-útero há esta pressão que os bebés são “made in IKEA”: percentil 50, Peso=3500gr, Altura=50cm. Pois não são! A genética conta muito… E além disso a ecografia não é 100% fiável.
Para vocês qual foi o comentário mais estranho/desagradável que vos fizeram?
Como lidaram com ele?
Partilhem as vossas experiências porque eu estou desejosa de saber… 😉

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *