Lá estamos nós , super contentes com a adorar a nossa “barriguinha”, até que chega alguém e comenta que é muito pequena ou muito grande… Toda a gente tem a sua opinião sobre a NOSSA barriga… “se a barriga está descaída o bebê já deu a volta, uma barriga grande é sinal que o bebé também será… já não devias ter a barriga maior, nem se nota?! Aí, parece que vai explodir”…

E pensamos nós grávidas “será que o bebé vai caber na roupa que comprei? Se calhar ele é muito pequenino… Ando a comer muitos chocolates? Vou mesmo explodir antes do parto????”

Lady’s a gravidez tem diferentes formas e tamanhos e existem múltiplas razões para que as barrigas sejam “maiores” ou “menores”. As razões são:

1- a sua estatura: uma mulher mais alta e com proporções maiores, terá mais espaço no abdômen para o seu bebé, dado que o útero irá crescer em varias dimensões e não só para a frente (fazendo um “barrigão”). Nas mulheres com estatura mais baixa haverá menos espaço no vosso “T1” e a barriga pode parecer maior e nota-se mais cedo.

2- Se é mãe de primeira viagem: uma mulher cujo útero ainda não passou por uma gravidez tente a ser mais rígido, pois os seus músculos ainda não passaram por um processo de distensão uterina da gravidez. Logo, a barriga pode ser um pouco mais discreta.

3- Posição fetal: os bebés são muito activos in-útero, mexem-se bastante e assumem posições diversas ao longo do dia e da gestação. No terceiro trimestre, em geral, os bebés mudam de posição e ficam cefálicos (de cabeça para baixo) e começam a encaixar na bacia da mãe (porém continuam a mexer-se mesmo com menos espaço!), o que vai alterar também o formato da vossa barriga.

4- Há mais para além do bebé dentro da sua barriga: achamos que só temos um bebé dentro da barriga… Mas não! Para além do feto, temos o líquido amniotico e a placenta (que ocupam espaço)! E não nós podemos esquecer dos nossos próprios órgãos internos… Muita coisa para caber no nosso “T1”.

5- Gravidezes anteriores: como já referi após a gravidez os músculos abdominais e uterinos distendem. Numa segunda ou terceira gravidez o tónus muscular está com menos tensão e assim a barriga nota-se mais cedo e parece ser maior. É normal!
Uma mulher atlética e que treina acima da média normal, pode recuperar este tónus de forma mais rápida e por conseguinte ter barrigas de segundo filho igualmente pequenas, sendo uma excepção.

6- Quantidade de líquido amniotico: a quantidade do líquido que envolve o bebé é variável e em certos casos pode haver um aumento do volume e por isso a cavidade abdominal distender e a barriga fica maior. Pelas 20 semanas o bebé a maioria do líquido amniotico é produzido também pelos líquidos que o feto produz (secreções pulmonares e urina), logo a partir daí o volume também começa a aumentar, o que torna a barriga mais visível!

7- Tamanho do feto: de facto o tamanho do feto influência o tamanho da barriga, é quase uma proporcionalidade directa (quase!). Normalmente os bebés herdam dos pais a sua estatura (se ambos foram pequenos é provável que o bebé não seja enorme! E vice-versa), por isso perguntem aos vossos pais como vocês eram… O vosso bebé vai sair parecido com alguém 😉

Resumindo: NINGUÉM pode avaliar o tamanho do bebé nem o seu bem-estar SÓ pelo tamanho da barriga. Á medida que a gravidez evolui o vosso corpo muda e adapta-se. PAREM de comparar barrigas e criticar tamanhos meninas, cada mulher é única e cada gravidez também! A não ser que sofram de alguma patologia (diabetes ou alterações placentarias ou até mesmo hiperemese gravidica) que condiciona o tamanho do feto, o tamanho da barriga não deve ser uma preocupação (ou alvo de crítica!).

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *