A boa forma não passa apenas pelo valor da balança, aliás, esse é um dado muito relativo.
A boa forma é sentirmo-nos bem connosco, de tal forma que temos prazer em alimentarmo-nos bem, em hidratar a nossa pele, mexer o nosso corpo para nos sentirmos activas e descansar bem para termos energia e boa disposição.

O corpo vai passar por uma transformação fantástica e ele está preparado do ponto de vista físico para
isso mas, por vezes, a nível psicológico não estamos preparadas para uma alteração tão brusca (em apenas 9 meses!) da nossa imagem. Por isso, é importante viver esta fase com a máxima tranquilidade e encontrar estratégias que nos façam sentir menos preocupadas em relação à nossa aparência física (ainda que importante, claro, para a nossa saúde e auto-estima), sem esquecer que esta é uma altura privilegiada para sentirmos que podemos mudar o nosso estilo de vida para algo mais saudável, holístico e que nutra também a alma.
É nesta fase que muitas mulheres tomam decisões importantes relativas à sua saúde e bem-estar – desistem de fumar ou, por exemplo, mudam hábitos alimentares.

Cuidar de nós para podermos cuidar da nossa família, esta é a lição número 1 da gravidez!
Já não é segredo para ninguém que o exercício físico é importante para o bem-estar do ser humano, para além de reforçar o sistema imunitário e musculo-esquelético, prevenindo uma série de complicações de saúde. Muitas mulheres têm dúvidas: na gravidez ou no pós-parto a actividade física deve ser restrita ou, pelo contrário, estimulada?

Primeiro há que perceber se a mulher já tinha uma prática regular de exercício físico e perceber se era
de alta/média ou baixa intensidade, pois não faz sentido (nem o corpo estará preparado) se de repente
passar de um estímulo ligeiro para um mais intenso na gravidez, podendo até causar algumas complicações (ameaças de parto pré-termo, descolamento de placenta, aumentar o risco de prematuridade ou aborto no inicio da gravidez).

Tome nota…
A prática de exercício físico pode e deve ser realizada na gravidez e pós-parto, mas adaptado a cada
mulher e fase de gravidez/pós-parto. Escolha um local e profissionais adaptados para prescrever treinos
a mulheres na fase da gravidez e pós-parto.

É sabido que na gravidez o aumento de peso é inevitável, o corpo precisa de reservas de gordura para a amamentação (principalmente na área dos seios, coxas e abdómen), acrescentando o peso do bebé, placenta e líquido amniótico. Porém, este aumento deve ser progressivo e acompanhado por um profissional de saúde que adapte estratégias mais saudáveis ao seu estio de vida. O exercício físico é uma dessas estratégias fantásticas para ajudar no bem-estar da mulher ao longo da gravidez e mais tarde na recuperação do pós-parto.

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES
Mas… e se eu estiver grávida posso realizar algum tipo de exercício físico? Pode e deve!
Na gravidez é necessário trabalhar os músculos para reforçar a coluna – estará exposta a mais peso e recisa de aliviar a tensão entre as vertebras que se vai criando (contrariando, por vezes, as nossas más posturas e as posições intra-uterinas do bebé).

1- Que exercícios posso fazer?
Não vai correr uma maratona (a menos que seja atleta de alta competição e o seu obstetra o aprove)!
Desde caminhadas ao ar livre, até a uma aula de localizada – é possível! Depende da sua condição prévia à gravidez (se já treinava ou não) e se tem alguma limitação física ou até mesmo relacionada com a gravidez.

Deve sempre aconselhar-se com um profissional desta área para prescrever um treino adaptado a si (não será um treino igual ao da sua amiga que nunca foi mãe… Atenção! Nada de comparações irreais que nos levam a sentir mal na tentativa de alcançar a perfeição…). Bom senso e ouçam o vosso corpo! Se hoje estão cansadas descansem ou façam um programa mais leve. Caso contrário, se acordaram com energia e apetece-vos alongar e mexer o corpo, porque não uma aula de yoga ou hidroginástica?

2- Que músculos são mais importantes trabalhar?
Quer na gravidez quer no pós-parto o períneo e o reforço das costas, braços e pernas é fundamental –
vamos exercitá-los bastante, quer a cuidar do bebé, quer no trabalho de parto.
Podemos (e devemos!) trabalhar o períneo – assim que o bebé nasce através dos exercícios de Kegel
(são abordados nos cursos de preparação para o parto), de modo a reforçar a musculatura pélvica
e a prevenir mais tarde prolapsos dos músculos do períneo.

3- Em que situações o exercício físico não é recomendado?
Na gravidez está contra-indicado se:
• Médico obstetra recomendar repouso absoluto por alterações na placenta ou crescimento fetal.
• Em casos de fracturas durante a gravidez
• Nos dias de descanso! Sim, é para respeitá-los e não é necessário treinar 2 vezes por dia!

Adeqúem o vosso plano à nova rotina familiar, de acordo com os vossos objectivos e limitações – treinar excessivamente não é recomendado por risco de fadiga muscular e, por isso, mais propensão a lesões.

4- Quando retomar o exercício físico no pós-parto?
Após a consulta de revisão pós-parto, quando o vosso médico obstetra der o aval – já é uma segurança para iniciar actividade física. Contudo, de forma geral, o parto vaginal pode iniciar após 15 dias e, se for
cesariana, 4 a 6 semanas.

5- A amamentação pode prejudicar o regresso ao treino?
De todo! Até ajuda, as mulheres que amamentam perdem os kilos extra da gravidez de forma mais rápida
e segura. Por vezes ficam até em melhor forma depois de serem mães!

6- Que cuidados devo ter quando regressar ao treino dado que ainda estou a amamentar?
• Soutien adequado: é fundamental que não seja apertado pois pode causar entupimento dos ductos.
• Roupa confortável no geral: faz-nos sentir bem e deve ser adequada à nossa rotina de treino (ténis
adaptados ao tipo de treino, por exemplo) para evitar lesões ou quedas.
• Se tiver que dar de mamar pode interromper o exercício e depois retomar com mais intensidade – está
a gastar duplamente energia!
• Não vá treinar com as maminhas cheias, vai provocar desconforto. Dê maminha ao bebé antes
do treino ou drene com a mão/bomba só para sentir mais alivio.

Moderação e amor próprio são as chaves para viver esta fase com máximo de bem-estar! Não há nada mais poderoso e bonito do que uma mulher confiante e feliz! 🙂

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *