A alimentação da grávida é fundamental para o seu bem-estar e desenvolvimento do feto.O que a grávida come condiciona a saúde do feto e mais tarde na criança até ao período da adolescência. Mas não fica por aqui, pois o que comemos na gravidez vai afectar não só o nosso filho como mais 3 gerações.
O estado da gravidez já nos deixa mais susceptíveis e com defesas mais baixas, logo temos que apostar numa boa alimentação para ajudar o nosso corpo. Por outro lado, são os nutrientes que ingerimos que vão passar para o nosso bebé através da placenta e nutri-lo também, de forma a desenvolver-se melhor. Por isso é tão importante ter cuidado e equilíbrio na alimentação durante a gravidez.

Sabia que:
Com o aumento da hormona BHCG os enjoos e falta de apetite são mais frequentes no início da gravidez. Depois das 27 semanas o valor desta hormona baixa e as grávidas têm mais apetite e tendência para a compulsão alimentar.

Aposte nos alimentos ricos em fibra (pois a gravidez dá prisão de ventre principalmente na fase inicial) e baixa em açúcares. Opte por associar às refeições proteínas e gorduras de boa qualidade (azeite, coco, abacate, óleo de fígado de bacalhau) e escolha hidratos de carbono não refinados. Faça 5 a 6 refeições diárias e não se esqueça de beber água.

Alimentos importantes que deve consumir:

– Ovos
– Frutas (3 a 4 porções biológicas e bem lavados)
– Legumes e vegetais (à vontade e maioritariamente crus e bem lavados)
– Cereais integrais
– Chia
– Probióticos (em forma de suplemento ou nos alimentos fermentados por exemplo Kefir ou iogurtes com colónias de probióticos)
– Frutos vermelhos (principalmente arados se tiver infecção urinária)

Alimentos não recomendados de todo:

– Álcool
– Cafeína
– Produtos panificados e de pastelaria (com gordura TRANS altamente cancerígena)
– Alimentos com corantes/conservantes (tudo que dure mais que um mês é de desconfiar…)

Alimentos a evitar:

– Linhaça
– Arroz integral (a casca liberta micotoxinas com impacto negativo para o feto, pelo que deve ser substituído por batata-doce, ou mandioca…

DICA para os enjoos:
– Evitar ingerir líquidos açucarados principalmente de manhã (altura onde os enjoos são mais frequentes)
– Comer regularmente 2/3 em 2/3horas
– Optar por alimentos crocantes ou gelados e secos.

Opções práticas:
– Maçã com frutos secos
– Gelados de frutas (caseiros e sem adição de açúcar – só triturar a fruta e congelar)
– Chupar gelo
– Introduzir gengibre na sua alimentação (em pós na comida ou ralado ou até mesmo chá)

O stress e a falta de sono, não estando relacionados directamente com a alimentação mas vão interferir na absorção de nutrientes e na sintetização de substâncias que ajudam à absorção dos mesmos e no desenvolvimento do feto.
Portanto, se está numa fase mais stressada da vida (mudou de casa, ou está em risco de desemprego porque o patrão descobriu que estava grávida, ou sua querida sogra quer mudar-se para a vossa casa…) deve apostar em alimentos que ajudem a relaxar e a libertar serotonina – substancia associada ao bem-estar (antes de expulsar a sogra ao pontapé).

DICA para alturas de maior stress:
Faça você mesma um sumo com os seguintes ingredientes:

– Maracujá + alface + cereja + kiwi

Aconselhe-se com um bom nutricionista funcional que ajude a adequar às suas necessidades um plano alimentar.
A receita do sucesso é bom senso e equilíbrio sempre lady´s! Mas esta altura da gravidez não é para comer por dois nem é a melhor fase para fazer excessos nem dietas! Escolham produtos alimentares com qualidade, pois eles vão se reflectir na vossa saúde e na do vosso bebé.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *