Celebramos em Novembro o mês da prematuridade, o mês onde os guerreiros mais pequeninos são lembrados pelas suas batalhas.

 


Sabia que... Todos os dias, nascem em Portugal 17 bebés prematuros. Portugal tem uma das mais altas taxa de prematuridade da Europa, com um registo anual de 8% de partos antes das 37 semanas de gestação.


Porque cada vez mais temos bebés prematuros? Quais as causas?

A probabilidade de um parto pré-termo é maior em algumas situações que aumentam o risco, tais como:
 História prévia de prematuridade;
 Recurso a técnicas de procriação medicamente assistida;
 Pré-eclâmpsia (subida da tensão arterial);
 Descolamento da placenta;
 Malformações fetais;
 Gemelaridade;
 Outros fatores como estilo de vida da mulher e algumas doenças que pode ter prévias à gravidez.

Existem alguns indicadores de saúde associados ao parto pré-termo que funcionam como sinais de alerta para os médicos, nomeadamente a hipertensão arterial, diabetes, historial de infertilidade, gemelaridade ou malformações.

 


Um bebé prematuro é um bebé que nasce antes do tempo do seu desenvolvimento e crescimento estar completo, em especial o dos seus pulmões, que o ajudarão a adaptar-se à vida extra-uterina.

Pelas 37 semanas de gravidez a maturação dos pulmões estará completa e o bebé pode nascer com menores dificuldades. Antes das 37 semanas pode haver mais dificuldades para o nosso bebé para se ambientar ao novo mundo, nomeadamente a nível da respiração e alimentação.

 

Podemos ajudar os pulmões do bebé a funcionar melhor? 

  • Se for detectado algum factor de risco durante a vigilância da sua gravidez (tensão arterial elevada, colo do útero curto, contracções, etc), o seu médico obstetra irá recomendar fazer uma medicação à base de corticóides, para ajudar a que os pulmões do bebé comessem a produzir um líquido importante que se chama de surfactante e assim funcionem melhor quando expostos ao ar ambiente no momento do nascimento.
  • Esta medicação é dada em forma de injecção intra-muscular (em geral faz 1 toma e passado 24h repete  à mesma hora a segunda toma).

TOME NOTA:

-Esta medicação pode alterar ligeiramente os valores do açúcar no sangue das mães diabéticas, por isso não se assustem caso aconteça referenciem ao profissional de saúde que vos segue.

-O bebé pode também mexer ligeiramente menos, por isso não se assustem mas em caso de dúvida recorram ao serviço de urgência.

 

E se o meu bebé nascer antes do tempo o que acontece?

Esta questão é a mais difícil de responder aos pais, porque os prognósticos dependem muito de cada bebé…

Mas após o nascimento de um bebé prematuro, este bebé necessitará de mais vigilância e muitas vezes ficam nas incubadoras para lhes fornecer o ambiente semelhante ao intra-uterino para se habituarem a este mundo. Alguns bebés demoram mais tempo que outros… Tudo depende pois a imaturidade de todos os sistemas torna os bebés prematuros muito mais vulneráveis. Em menor ou maior grau, os bebés revelam dificuldades em cumprir as funções básicas, fundamentalmente em três áreas essenciais: controlo da temperatura corporal, respiração e alimentação.

E quando os bebés ficam internados o que acontece com a amamentação?

Nestes casos a mãe deve estimular com a bomba eléctrica o quanto antes a mama, para conseguir dar leite materno ao seu bebé, dado que muitas vezes a amamentação não se consegue iniciar precocemente como era o ideal.

O leite materno nos prematuros vale outro, pois é a forma a sua digestão e mais fácil para o bebé e contém imunoglobulinas que o vão ajudar a desenvolver as suas defesas, ainda tão frágeis. Este processo pode demorar mais tempo de acordo também com estado de saúde do bebé e o seu grau de prematuridade.

A mãe pode fazer a extracção junto do bebé na unidade de neonatologia e aos poucos ir fazendo o treino da sucção com apoio dos enfermeiros da unidade (vejam mais dicas que facilitam a extracção do leite materno aqui e ainda aqui).

 

Como é avaliado o crescimento do bebé prematuro?

Estes bebés como nasceram antes do tempo que era suposto, a avaliação do seu crescimento e desenvolvimento nos primeiros 2-3 anos, deve ser corrigida e adaptada à idade cronológica em função do grau de prematuridade.

A idade corrigida, também designada idade pós-concepção, traduz o ajuste da idade cronológica em função do grau de prematuridade. Esta avaliação do crescimento da criança prematura necessita deste ajuste para reduzir os erros quando avaliamos mais tarde o desenvolvimento da criança, dado que existe um rápido crescimento no último trimestre de gestação e a desaceleração do crescimento após o termo.

 

Considerando que o ideal seria nascer com 40 semanas de idade gestacional deve descontar-se da idade cronológica do prematuro as semanas que faltaram para sua idade gestacional atingir as 40 semanas, ou seja:

  • Idade corrigida = idade cronológica – (40 semanas – idade gestacional em semanas).

 

Regressar a casa sem o bebé…

Esta é a parte mais difícil que não há dicas ou palavras que possam reconfortar os pais… Nunca pensamos neste regresso sem o bebé e por isso as idas após a alta à maternidade para visitar o bebé serão frequentes e desgastam física e psicologicamente quer a mulher quer o homem e a vida do casal.

A presença dos pais é fundamental em todo o processo. A investigação aponta para que essa proximidade possa contribuir não só para o bem-estar do bebé, mas também para a sua recuperação. Toda a vinculação estabelecida nesta fase parece aumentar os resultados mais positivos. Aqui o contacto pele a pele é fundamental para ajudar o bebé a todos os níveis.

Mas os pais também precisarão de ajuda e de muito apoio, bem como descanso… muito mimo e tempo para namorar o vosso bebé é o que precisaram mais do que nunca!

Apoiem-se um ao outro e vejam sempre as conquistas que dia após dia o vosso bebé consegue… Um dia de cada vez.

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *