Minhas queridas, se este vício vos assiste … Eu não trago boas notícias ?

 

Os hábitos tabágicos maternos interferem com o crescimento fetal, uma vez que a nicotina estreita os vasos sanguíneos. Ao fazer este efeito vascular, todos os  nutrientes e oxigênio que chegam ao feto são em menor quantidade… o que provoca bebés mais pequeninos!

Ainda não foram  associados ao tabagismo materno causas de malformações fetais,  mas está cada vez mais presente como causa de abortos, descolamento de placenta e partos antes do tempo.

Os efeitos imediatos a seguir a uma mulher grávida fumar um cigarro, vai se repercutir no feto, pois os níveis de nicotina aumentam e causam logo no feto um aumento da sua frequência cardíaca e diminuição dos seus movimentos.

Para além de ser péssimo para a saúde da mulher (mesmo as meninas que ainda não são mães e tomam a pílula – sim, pílula e tabaco não se dão bem!), tem um impacto negativo no crescimento fetal.

 

E na amamentação, já estou liberada

Só que não meninas!

Fumar junto dos bebés não é benéfico para eles e aumenta o risco de morte súbita.

Por outro lado, as mães fumadoras tendem a amamentar menos tempo (ainda não existem estudos que comprovem a 100% que o tabaco tem efeito directo na produção de leite), pode estar associado, não só a um factor físico, mas também à pressão psicológica que a mãe pode sentir por estar a continuar esta prática pouco benéfica. E como sabem … o leite é produzido na cabeça ? E se as hormonas não estão contentes, não vão produzir leite!!!

 

A nicotina passa efetivamente para o leite mãe e tem efeitos no bebé como aumento da frequência cardíaca, podendo provocar vómitos e diarreia.

Porém, o fumo acarreta mais riscos para a criança visto que a incidência de doenças pulmonares e outras estão cada vez mais presentes em filhos de fumadores. Por isso, como o perigo maior para o bebé é mesmo o fumo, é conveniente que nem o pai ou familiares fumem dentro de casa.

 

Então e agora o que vou fazer? 

– Primeiro que tudo, antes de engravidar pensem nos vossos hábitos de vida (do pai inclusive! O tabaco prejudica a qualidade do esperma) e tentem melhorar ?

– Já estando grávida: pense em frequentar uma consulta de cessação tabágica para que no segundo trimestre da gravidez o crescimento fetal não esteja comprometido nem que haja risco de aborto.

– Se está a amamentar e fuma: repensar deixar o quanto antes, mas caso não consiga deixar de fumar nesta fase, a amamentação tem um efeito protector para o seu bebé!

 

Moral da história: não está na moda fumar e mais importante que isso… tem um impacto negativo na saúde da mulher e do bebé.

Procurem ajuda para cessar vício e assim  consigam ser mais saudáveis ❤️?

Por vocês e pelos vossos bebés! 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *