Como sabem adotei recentemente uma gatinha, de seu nome Chia, e  muitas mães questionam se eu não tenho medo devido à questão da toxoplasmose.

Não sou imune à toxoplasmose, por isso quando estiver grávida terei que manter os cuidados próprios. Mas não me preocupa relativamente à minha gata.
Como tenho recebido algumas questões e visto famílias que não adotam porque têm medo…
Vamos perceber melhor o que é a toxoplasmose e como prevenir, para que possam ter uma família alargada e feliz!

O que é a toxoplasmose?
– É um parasita e a infecção materna pode ocorrer por ingestão dos oocistos provenientes de carne crua ou pouco cozinhada, fruta e vegetais mal lavados, leite de cabra não pasteurizado ou alimentos/materias em decomposição ou fezes de gato.

É frequente esta infecção?
– Actualmente, a infecção por toxoplasmose durante a gravidez é pouco frequente  (2 casos para 1000 mulheres – uma incidência baixa como podem ver, mas que varia consoante o país e situações climatéricas).


Sintomas comuns?

– Existem vários quadros, desde:
1-  Infecção aguda: queixas semelhantes a um síndrome gripal e adenopatia (aumento dos gânglios linfáticos).
2- Infecção crónica: que pode levar à perda de visão
3- Exacerbação da infecção crónica ou aguda
4- Toxoplasmose congénita: adquirida na fase fetal durante um quadro agudo materno.

Como se diagnostica?
– Através de um exame ao sangue.
No início da gravidez faz parte das análises de rotina verificar  se a mãe é imune ou não, para adequar estratégias de prevenção. Pode ainda ser verificada através de análise ao líquido amniótico.


Tem tratamento?

– Sim, com uma medicação própria, que diminui o risco fetal.


Tem risco para o bebé?

– A passagem deste parasita através da membrana placentária pode ocorrer entre a 4ª-8ª semana de gestação. Verificou-se que os efeitos mais graves para o feto, ocorrem na fase inicial da gravidez . Quanto mais tarde foi infectada a mãe durante a gravidez, menos riscos fatais tem para o feto, porém afecta na mesma o seu crescimento e desenvolvimento de estruturas físicas (nomeadamente a visão e audição).


Como prevenir?

– Lavar bem os alimentos antes de consumir e assegurar que a sua confecção está bem cozinhada;
– Utilizar luvas durante jardinagem;
– Evitar contacto com os dejectos do gato e eliminar as suas fezes diariamente. Os animais devem também ter uma alimentação cujos alimentos sejam bem confeccionados e higienizados.
[A minha solução? Neste momento mudam eles a areia do gato, como treino para as fraldas! Trabalho de equipa 😉 ]

Não é só o gato que transmite a toxoplamose, por isso se seguirem as indicações referidas podem ter o vosso amigo de 4 patas feliz em vossa casa! São uma excelente companhia e fomentam uma aprendizagem muito rica nas nossas crianças… Vale a pena ter um amor puro e incondicional em casa.

Adotem!


FONTES: Reilly, Bottomey, Rymer (2005) / Rezende e Montenegro (2010)

4 replies
  1. Cátia
    Cátia says:

    Como disse uma amiga, isto devia era estar afixado nos serviços de obstetrícia e centros de saúde!…

    Reply
    • Carmen Ferreira
      Carmen Ferreira says:

      Era uma boa opção Cátia! 🙂
      Mas deve ficar também bem fixo na cabeça das mães para perceberem os cuidados a ter e que não precisam de abandonar ou dar o seu amigo de quatro patas 😉

      Reply
  2. Joana
    Joana says:

    Estou grávida de 13 semanas e não sou imune à toxoplasmose. Tenho dois gatos super amiguinhos que gostam de estar perto dos donos e preocupa-me o pós parto. Não quero privá-los de observarem o novo membro da familia mas tenho medo que o contacto entre o bebé e os gatinhos faça mal ao meu pequeno. Podem os gatinhos estar perto do bebé?

    Reply
    • Carmen Ferreira
      Carmen Ferreira says:

      Olá Joana! Podem sim!!! Sem problema algum… A questão da toxoplasmose é na gravidez e perfeitamente controlável como pode ver.
      Não prive de nada pois crescer com animais só torna as crianças mais ricas e com melhor sistema imunirário!
      Tudo a correr bem <3

      Reply

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *