Hoje trago a experiência de Carolina, uma mulher forte e determinada, actualmente mãe de duas princesas! Tive o privilégio de acompanhar esta família no pós-parto da primeira menina (a Dianinha) e agora com o desafio de ser mãe pela segunda vez, todos nós estamos curiosos com a segunda experiência…

Inaguro assim a rúbrica “Amamentar na primeira pessoa…” para que nos possamos inspirar com estes bons exemplos e também perceber que passamos TODAS pelas mesmas dificuldades e que JUNTAS conseguimos ultrapassá-las!
(espero que gostem! 🙂 )

1- Como correu a primeira experiência de amamentar a primeira filha?

Gostei muito de amamentar apesar da minha primeira experiencia ter começado da pior maneira com uma drástica subida de leite para a qual não estava preparada nem informada. Cometi muitos erros como o facto de não ter parado em casa um segundo neste dia crítico. É preciso descanso e relaxamento emocional para estarmos disponiveis para amamentar a qualquer momento nestas primeiras horas, assim como mantermo-nos vigilantes da situação (colocar o quente/frio e dedicarmo-nos seriamente às massagens). Amamentei durante 4 meses (3 em exclusivo).

2- Qual foi a maior dificuldade no processo de amamentação?

A maior dificuldade foi sem dúvida ter que ultrapassar estes dias da subida do leite. Tendo passado essa semana crítica seguiram-se ainda mais uns 15 dias com alguma insegurança e duvidas constantes à volta do peito.

3- Como resolveu a mesma?
Confesso que com alguma dificuldade e espirito de sofrimento para um bem maior. A minha subida do leite começou logo na primeira noite em que fui para casa com a bebe. Começa a sentir o peito quente e cheio ao anoitecer e por volta das 23h estava completamente desesperada de dores e sem saber como agir. Fui ter com a enfermeira Carmen (tinha conhecido no centro de Pré e Pós Parto de Entre-Campos) que estava de banco nessa noite no Hospital de Santa Maria. Foi ela que me ajudou a controlar a situação, aliviando-me a dor e que me ensinou todos os truques. Acabou por me acompanhar ao longo do tempo em que amamentei e foi graças a ela que transformei esta experiência na melhor parte da maternidade.

4- Como está a ser esta experiência de amamentar pela segunda vez?

Desta segunda vez, ainda acompanhada pelo Centro Pré e Pós Parto, tudo correu melhor apesar de ter tido também uma experiência dura na noite crítica da subida do leite. No entanto, por já estar mais atenta e vigilante não deixei que a situação se descontrolasse como na primeira vez e fiz tudo “by the book”. Apesar de ter passado essa noite em branco, entre duches quentes e massagens, no dia seguinte rapidamente tudo se acalmou e comecei a aproveitar.

 5- Que desafios/dificuldades tem uma mãe de segunda viagem?

O meu maior desafio e dificuldade nesta segunda viagem em relação à amamentação foi ultrapassar o medo que tinha da primeira experiência. Aos primeiros sinais da subida do leite confesso que pensei em desistir tal foi o trauma da primeira vez. Mas decidi atacar a situação com tudo o que tinha aprendido e concentrar-me nas coisas boas que chegam logo a seguir.

6- Se pudesse dar uma dica sobre amamentação para as mães, qual seria?

Que procurem acompanhamento especializado para o dia da subida do leite ou que se rodeiem de algum familiar/amigo que já tenha passado pelo mesmo. Mas mais importante do que tudo isto é não desesperar e pensar que o dia seguinte será sempre melhor e que no final irá seguramente compensar.

7- Como a amamentação foi importante para a saúde das meninas e para a sua recuperação física?

Foi muito importante e gratificante ter amamentado. Não só foi fundamental na minha recuperação pós parto como foi uma mais valia para a minha filha que nunca sofreu de cólicas e que se tem mantido saudável e forte. A ligação que se cria com o bebé é única!

Obrigado Carolina por esta partilha tão genuína e sincera! Excelente inspiração 🙂

Entrevista exclusiva para o site “Bebé Saudável”

2 replies
  1. Estela
    Estela says:

    Boa tarde! Fui mãe há quase 3 anos e a maternidade fluiu em mim uma busca incansável sobre o aleitamento materno. Entendo que mais vale amamentar 3/4 meses que nenhum. Mas sendo a Carolina uma pessoa q à partida teria mais informação/formação que outras mães, pq ela ñ amamentou mais tempo. Esta entrevista tem informações boas tais como “Que procurem acompanhamento especializado…” entre outras, mas a entrevista ficaria mais completa se a Carolina transmitisse o seu objectivo em relação à amamentação, nesta sua 2º bebé.

    Reply
    • Carmen Ferreira
      Carmen Ferreira says:

      Parabéns Estela!!!
      Todas as mães têm as suas dúvidas e anseios, umas semelhantes outras dependendo de cada situação. Acredito que a Carolina voltou a amamentar porque se informou e sabe das vantagens da mesma!
      Tentaremos esclarecer melhor numa parte II da entrebista 😉
      Obrigado pela sua partilha!

      Reply

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *