Temos sempre aquela dúvida existencial sobre quando devemos mesmo recorrer ao serviço de urgência. Ninguém gosta de hospitais, e quanto menos a grávida se expuser a situações/ambientes com microrganismos infeciosos e stressantes (geralmente os hospitais são a casa desses bichinhos) melhor. Porém, perante certos sintomas e situações pensamos duas vezes antes de ir para a urgência de um hospital “se calhar é uma tolice… não vale a pena”.

Contudo, na gravidez (e no pós-parto) mais vale pecar por excesso do que por defeito, portanto, em caso de dúvida, contactem o vosso médico assistente. Caso não tenham o seu número ou apresentem alguns dos sinais que descrevo abaixo, não hesitem em dirigir-se ao serviço de urgência.

Sinais de alerta para a grávida:

  1. Perda de sangue ou de líquido;
  2. Contracções (antes das 37 semanas ou após as 37 semanas, dolorosas e regulares);
  3. Diminuição dos movimentos fetais (ou ausência);
  4. Dor de cabeça intensa, dor de estômago ou ver “luzinhas”;
  5. Comichão intensa nas mãos e/ou barriga;
  6. Situações que envolvam algum trauma físico (acidente, queda, violência…).

Sinais de alerta para a mulher no pós-parto:

  1. Perdas de sangue vaginal (encher um penso higiénico em menos de uma hora de sangue vivo);
  2. Dores de cabeça intensas;
  3. Sutura (do períneo ou abdominal) com sinais de infeção: vermelho, dor, exsudado, cheiro fétido.

Sinais de alerta para o bebé:

  1. A sua vitalidade:

Alarme: O bebé não se mexe, não ri, não brinca, não tem um choro vigoroso ou chora mais do que 6 horas durante do dia.

  1. A pele:

Alarme: Pele amarela ou pálida, com manchas ou borbulhas.

  1. O olhar:

Alarme: Olhos vermelhos, olhar mortiço e sem expressão, exsudado ocular.

  1. A fralda:

Alarme: Não faz xixi ou cocós, existem assaduras ou sinais de candidíase, sangue ou muco nas fezes, urina com cheiro fétido e cor muito escura/ presença de sangue na urina.

  1. A temperatura corporal:

Alarme: Consideramos nos bebés que a temperatura já é alta a partir dos 38ºC. Porém, os valores vão variar ligeiramente conforme o local onde fazemos a medição (o método mais aconselhado em bebés mais pequenos é a avaliação rectal).

Tome nota:

  • Temperatura superior a 38ºC para bebés com idade inferior a 3 meses
  • Temperatura superior 39ºC se o bebé tiver entre 3 e 6 meses
  1. O apetite:

Alarme: Falta de apetite ou recusa alimentar, vómitos ou náuseas, diarreias.

  1.  A respiração:

Alarme: Respira com dificuldade ou muito rápido, quando respira notam-se as costelas de forma muito evidente (tiragem respiratória), tem ranho ou tosse de cor verde e persistente.

Observando alterações nos fatores acima descritos, os pais devem pedir observação ou parecer de um profissional de saúde para perceberem melhor que conduta seguir.

Outros sinais de alarme do bebé: 

  • Pescoço rígido
  • Faces de dor
  • Sonolência anormal
  • Irritabilidade anormal
  • Convulsão
  • Ataque de tosse
  • Erupção cutânea vermelho-escura ou púrpura (que não desaparece)
  • Nódoas negras persistentes
  • Outros sintomas sugestivos de doença

DICA: Muitas vezes o bebé não manifesta sinais tão evidentes como os descritos anteriormente, mas como mães e pais sabemos (porque os conhecemos!) que o nosso bebé não está bem. Se assim for, não hesite em pedir observação médica! Confie sempre no seu instinto!

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *