Um, novo elemento da família está a chegar… e está preocupado como irá o seu cão reagir! Será que vai ter ciúmes? Vai ser agressivo?

É normal que o bebé atraia grande parte das atenções que antes eram destinadas ao cão. Normalmente os cães fazem a associação da perda de atenção e carinho com a chegada do recém-nascido e isso pode ser motivo para não gostarem da criança. Mesmo que não ocorra a associação, se o cão sentir que o interesse por ele diminuiu bruscamente, poderá ficar inseguro e ansioso e pode desenvolver algum problema de comportamento.

Inicie a mudança algum tempo antes do nascimento da criança de modo a habituar o seu cão à nova rotina e assim avisá-lo que o novo membro da família está a chegar!

1- Dicas para antes de o bebé nascer:

• Habitue o seu cão aos novos sons: ponha um cd com sons de choro de bebé a tocar.

• Prepare o quarto do bebé na presença do animal. Se eventualmente não quiser que entre no quarto coloque uma cancela para que ele possa ver o que acontece no quarto, e assim não se sinta excluído.

• Comece a usar loção de bebé, para ele se habituar ao cheiro.

• Monte o baloiço, o carrinho e outros artigos de maiores dimensões do bebé para que o seu cão se acostume a eles.

A introdução de novos itens, sons e cheiros durante os meses anteriores ao nascimento vai fazer com que o seu cão se habitue gradualmente.

 

2- Dicas para o período de internamento na maternidade:

Enquanto que os novos pais têm, pelo menos, sete meses para se prepararem para a chegada do bebé, muitos cães descobrem que o bebé está a chegar quando a mãe já está a chegar do hospital e a “invasão” do novo membro é literalmente “um balde de água fria” para o cão.

Idealmente os donos estabelecem novas rotinas para os seus cães alguns meses ou semanas antes da chegada do bebé. Procure prever as mudanças que ocorrerão com a chegada da criança e tente adaptar o cão a elas, gradualmente. As alterações radicais são sempre mais stressantes.

• É importante que sejam levadas algumas peças de roupa ou fraldas de algodão que estiveram em contacto com o bebé na Maternidade, e deixá-los nos locais onde o cão costuma fazer coisas prazerosas: debaixo da ração, na caminha do animal, junto aos brinquedos dele… Enfim, qualquer lugar que o cachorro relacione com actividades que ele gosta.
Os cães possuem um olfacto extremamente apurado, e o contacto com os panos fará com que ele comece a se familiarizar com o cheiro do bebé e relacione esse cheiro com coisas boas como comer, dormir e brincar.

3- Dicas para o regresso a casa:

• Ao chegar em casa, o ideal é agir com naturalidade, mesmo com a presença do bebé. Alguns cães ficam desconfiados, ou estranham o choro da criança, ou os movimentos. Então, neste primeiro momento, evite contacto directo do focinho do animal com o bebé. O melhor é que a aproximação seja gradual, de acordo com a aceitação e tranquilidade do cão.

• Outro factor relevante é o aumento no número de visitas na casa. Com toda essa movimentação fora do comum, o cão pode ficar stressado, associando a chegada de pessoas e mesmo a presença da própria criança com a perda de espaço, carinho e atenção. Portanto, toda vez que o cão tiver uma aproximação amigável com o bebé, ou com as visitas, ele deve ser recompensado com um petisco ou um carinho. No entanto, evite recompensar atitudes muito bruscas, como pular ou quando ele estiver agitado… Prefira dar ênfase a comportamentos mais tranquilos, pois, assim, o cão passará a valorizá-los também.

• O cão deve possuir brinquedos que realmente goste, e que possa destruir. desta forma, sempre que precisar dar atenção exclusivamente ao bebé, ofereça um brinquedo, ou um ossinho próprio para cães, de acordo com a recomendação do veterinário, para que o cão fique interagindo com o objecto, e não se sinta rejeitado. Com o passar dos dias, a segurança vai aumentando, e a aproximação pode ser maior. A convivência entre cães e crianças é muito benéfica para ambos, pode e deve ser incentivada. Porém, mesmo se tratando de um animal extremamente dócil e carinhoso, o contato entre o animal e o bebé deve ser feito sempre sob supervisão para evitar acidentes!

•Evite também mudanças bruscas na rotina do animal. Os passeios e brincadeiras com o cão devem continuar na mesma intensidade nessa época, para evitar ansiedade e o surgimento de compulsões e comportamentos destrutivos ou indesejados. Os limites também devem continuar firmes. Muitas vezes, na tentativa de “compensar” o tempo que se passa longe do animal, o dono deixa que cão faça o que quiser… E isso não deve acontecer.

E lembre-se: o mais importante é a qualidade do tempo que passa com o amigo de quatro patas. Por isso, educação, carinho e respeito devem sempre fazer parte da rotina do animal, em qualquer situação.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *